Flutuantes Passeios

Danielle Lins

Textos


Partida

O que eu sinto é como um raio,
Um susto, som de trovão,
Um buraco em que eu caio,
Um cair sem ver o chão.

O que eu faço é como impulso:
Fecho os olhos, tapo ouvidos,
Me seguro no percurso,
Busco céu e chão perdidos.

O que eu penso é como um sonho:
Tenho idéias embaralhadas...
Mas sei bem a que me oponho
E conheço as minhas estradas.

O que eu sou é um navio,
Casco firme, ancorado no cais.
Se me solto, nem desvio;
Quando vou não volto mais...
Danielle Lins
Enviado por Danielle Lins em 24/03/2007
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autoria de Danielle Lins - www.daniellelins.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Seguir @daniellewheelys