Flutuantes Passeios

Danielle Lins

Textos


Pressentimento

Meus sentimentos são muito profundos
Tomam rumos que eu não sei contar
Minha tristeza atravessa mundos
Minha angústia maremota o mar

Minha sede é sede que se sente
Já depois de bem bebida a água
O que eu vejo esteve em minha mente
O que eu choro ainda nem é mágoa

Tenho idéias que me vêm de tempos
Que me avisam que estão pra chegar
Sobre os quais eu não conheço exemplos
Coisas que eu nem sei como explicar

Como se me habitassem almas
Que me passam angústias e medos
Ou me trazem alegrias calmas
De outros tempos revelam segredos

O que eu sei é uma certeza vaga
Um saber que não sabe e não finda
Vejo mesmo quando a luz se apaga
Fecho os olhos e enxergo ainda

Esse peso de viver assim
Cega do fato, vidente da emoção
Lúcida de uma dor em mim
Da qual nunca antevejo a razão

Esse peso é só meu e eu carrego
Desde que me aceitei, não reclamo
Mas às vezes sem querer eu me pego
A pesar no coração de quem amo

Danielle Lins
Enviado por Danielle Lins em 07/12/2006
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autoria de Danielle Lins - www.daniellelins.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Seguir @daniellewheelys