Flutuantes Passeios

Danielle Lins

Textos


Medidas do Amor

Cada um tem seu jeito de amar
É ruim pôr medidas no amor
Porque a gente pode se machucar
Nos milímetros de seja o que for

Se um ama e se sente feliz
De estar sempre com a pessoa amada
Se prefere ouvir o que ela diz
A ouvir pessoa mais inspirada

Se um acha que o outro é bastante
Que ele dá conta de ser
A pessoa amiga e falante
Que faz rir, chorar e crescer

Se um nem sente falta do mundo
Porque existe um mundo em se olharem
Se um não quer perder um segundo
Do tempo de eles conversarem

Se um sufoca o outro de atenção
Mas não é pelo outro sufocado
Se um, enfim, dá seu coração
Na esperança de ser tão amado

Um não pode por isso querer
Que o outro ame sempre igual
Ou que saiba sempre dizer
As palavras que cortam o mal

Um não pode sofrer se o outro
Vai cansando do amor sem fim
E deixando de lado um pouco
As pequenas flores do jardim

Um precisa lembrar que amar
É uma doação que faz bem
Mas só se um não esperar
Que o outro se doe também

Cada um tem seu jeito de amar
É ruim pôr medidas no amor
Porque a gente pode se machucar
Nos milímetros de seja o que for
Danielle Lins
Enviado por Danielle Lins em 13/11/2006

Música: Noturno op. 9 - Chopin

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autoria de Danielle Lins - www.daniellelins.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Seguir @daniellewheelys